terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Formigas 'conversam' no formigueiro, diz estudo

Formigas 'conversam' no formigueiro, diz estudo

Pesquisa afirma que larvas conseguem bom tratamento ao imitar som de rainha.
Uma pesquisa das universidades de Oxford (Grã-Bretanha) e de Turim (Itália) mostrou que formigas costumam conversar entre elas, em seus formigueiros.


Segundo os pesquisadores, as rainhas emitem sons característicos dentro do formigueiro que produzem reações das operárias, o que reforça o status social da rainha, de acordo com o artigo publicado na revista Science.


De acordo com um dos pesquisadores, Jeremy Thomas, da Universidade de Oxford, o progresso da tecnologia permitiu a gravação dos sons das formigas nos formigueiros e a execução destas gravações sem que as formigas ficassem assustadas.


Ao colocar miniaturas de alto-falantes no formigueiro, especialmente fabricados para a pesquisa, e reproduzir os sons feitos por uma rainha, os pesquisadores conseguiram fazer com que as formigas ficassem em estado de atenção.


"Quando tocamos os sons da rainha elas apresentaram o comportamento 'em guarda'. Elas ficavam imóveis com suas antenas estendidas e suas mandíbulas separadas por horas - se alguma coisa se aproximasse elas atacariam", disse.


Apesar de ter uma sociedade muito bem defendida pelas operárias, as formigas também podem sofrer com infiltrados, segundo a pesquisa conduzida pelas universidades de Turim, Oxford e pelo Centro de Ecologia e Hidrologia de Oxfordshire.


Sons produzidos pela larva da borboleta europeia Maculinea rebeli, por exemplo, imitam os sons produzidos por formigas adultas, particularmente pela rainha do formigueiro.


"Pesquisas anteriores mostraram que parasitas sociais como estas larvas secretavam elementos químicos e usavam outras habilidades para conseguir se infiltrar em formigueiros", afirmou Francesca Barbero, pesquisadora da Universidade de Turim.


"Nosso novo trabalho mostra que o papel do som na troca de informações dentro de formigueiros foi muito subestimado e que a imitação do som fornece outra forma de infiltração para 10 mil espécies de parasitas sociais que exploram as sociedades de formigas."


Os pesquisadores usaram gravações de sons emitidos pelas larvas nos formigueiros hospedeiros.


Os resultados demonstraram que, depois que a larva foi aceita no formigueiro por meio da liberação de elementos químicos que imitavam os liberados por formigas, a imitação de sons de uma formiga adulta permite com que a larva avance socialmente.


"Nossas experiências mostraram que, em resposta aos sons emitidos pelas larvas, as formigas operárias protegiam elas de uma forma parecida com que protegiam suas rainhas", disse Karsten Sch¶nrogge, do Centro de Ecologia e Hidrologia de Oxfordshire.
Fonte; http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL991444-5603,00-FORMIGAS+CONVERSAM+NO+FORMIGUEIRO+DIZ+ESTUDO.html

Formigueiro


Exemplo de ninho, que pode ocorrer no gênero Atta, a popular saúva

1 - Larvas e pupa
A formiga passa por três estágios antes de se tornar adulta: ovo, larva e pupa (imaturos). Nesse último, ela fica em estado de dormência, até eclodir e atingir a maturidade.2 – Câmaras O ninho da Atta é dividido em câmaras, ou panelas. Nelas, as formigas cultivam fungos a partir de folhas em decomposição.3 – Soldados As chamadas formigas “soldados” são responsáveis por proteger as entradas do ninho de possíveis predadores. Essas guardiãs têm a cabeça e as garras maiores do que as operárias “comuns”.4 – Lixo Uma das câmaras, geralmente no fundo do ninho, é reservada para armazenar o “lixo”: restos de fungos, folhas e ainda as formigas mortas.5 – Rainha     A saúva tem apenas uma rainha em seu ninho. Ela vive em média por dez anos, enquanto as operárias têm um ciclo de vida de cerca de quatro meses. Quando a reprodutora morre, a colônia se extingue em poucos meses.
     As formigas vivem em colônias e são divididas em castas, a casta das formigas rainhas, das formigas machos e das formigas fêmeas estéreis. Estas vão se diferenciar pelo tipo de alimento que lhes é fornecido durante toda a fase larval. Tal condição vai acabar por caracterizar as diferenças morfológicas de cada casta. Cada uma delas dura em torno de 15 anos, iniciando no momento em que uma formiga rainha cruza com um macho de casta diferente da sua e reproduz formigas obreiras e, terminando no momento em que a formiga rainha não consegue mais reproduzir.

As formigas são divididas em três tipos:

Formigas rainhas: possuem asas e podem reproduzir fêmeas. Vivem aproximadamente de quinze a vinte anos.
Formigas machos: possuem asas e vivem apenas algumas semanas com o único intuito de reproduzir
Formigas fêmeas estéreis: são as formigas operárias ou obreiras, reproduzem machos sem a necessidade de serem   fertilizadas. Vivem aproximadamente um ano.
Trabalho
Obreiras: cuidam da rainha, dos ovos, das larvas e de pupas.
Cuidadoras da manutenção de ninhos: abrem e fecham as entradas dos ninhos, mantêm estruturas e passagens   dentro da colônia.
Patrulheiras: designam os caminhos destinados para o forrageamento.
Forrageiras: seguem caminhos designados para elas, para acumular comida para a colônia.
Trabalhadoras de Meio-dia: manejam o lixo, chamado de meio-dia, e que parece ter uma significante relação a como   as formigas acham sua colônia.

Atribuição de Tarefas

Não existe uma fonte de liderança, diferentemente de como muitas pessoas acreditam. A Rainha está lá apenas para reproduzir e não para controlar a colônia.
Quando ocorrem alterações nas condições na colônia, a ênfase em certo trabalho se altera. Trabalhadores são movidos de uma tarefa para outra dependendo da necessidade. Quando se trata do forrageamento, ao ser o trabalho mais importante, vai ter prioridade ante qualquer outra tarefa.




segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Camponotus



Formiga-carpinteira (Camponotus spp.) - A maioria das formigas carpinteiras faz seus ninhos em madeira morta, mas podem também fazê-los em troncos de árvores, porém não se alimentam da madeira. Também fazem seus ninhos dentro das casas, aproveitando falhas na estrutura, podendo ser encontradas em vigas de madeira e molduras de porta. Podem construir ninhos secundários, menores e ligados ao formigueiro principal, que é maior. Podem ser encontradas dentro de aparelhos eletrônicos. Apresentam somente um nó na cintura e um círculo de pêlos na extremidade do gáster(Os últimos sete ou oito segmentos abdominais das formigas), quando observadas sob lupa. São polimórficas apresentando cores variadas (do amarelo ao preto). Podem ter muitos pêlos ou não, dependendo da espécie. O mesossoma, quando observado de perfil, é arredondado. Algumas espécies expelem ácido fórmico, um líquido de odor característico. Alimentam-se geralmente de substâncias açucaradas, ovos, carnes e bolos.

fonte; http://www.extermine.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=25&Itemid=29